SOCIOLOGIA & OPINIÃO / ANO 9

América do Sul, Brasil,
PÁGINA INICIAL LEIA ANTES! SOBRE O EDITOR TEXTOS DO EDITOR BIBLIOTECA MATERIAIS DE AULAS

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Respeitemos as minas!

Bernardo Caprara
Sociólogo e Professor

No mundo ideal, não seria preciso dizer aos homens: nesse carnaval, respeitemos as minas. Não sejamos escrotos. Não aumentemos as estatísticas de violência.

Ah, mas o cara do rádio falou que o machismo não existe, que isso é coisa de feminazi neurótica. Esqueçamos os jornalistas. Em geral, eles sabem muito pouco. Almoçam ignorância e arrotam sabedoria. Falsa sabedoria. Desconfiemos sempre deles. Eles são funcionários com alma e ideias de patrões. Eles sabem de técnica, mas quase nada de conteúdo.

Não seria preciso dizer: não há roupa curta, olhar, beleza ou o que for que legitime um beijo forçado, uma violência ou qualquer ação não consentida. Carnaval é alegria, é festa. Não precisa ser opressão. Não deve. Pode ser numa relação duradoura, passageira, com ou sem compromisso: respeitemos as minas, respeitemos o consentimento.

Ah, isso vale para todos os dias. Como o mundo não é ideal, digamos juntos: respeitemos as minas! Não sejamos escrotos.

.